“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar e me buscar e se desviar dos seus maus caminhos…” – II Cr 7.14

 

É fundamental compreendermos o que realmente produz um avivamento para podermos mantê-lo. Se abraçarmos apenas os sintomas do avivamento, poderemos perdê-lo tão facilmente quanto o recebemos.

O avivamento em primeiro lugar começa no coração de pessoas totalmente rendidas ao Espírito Santo. Em segundo lugar, traz a renovação da igreja. Em terceiro lugar, traz o despertar dos não crentes. Em quarto lugar, traz a reforma da sociedade. Não quero dizer que a terra será o céu, mas simplesmente que a luz prevalece contra as trevas e a justiça destrona a injustiça. Se há um genuíno avivamento em uma nação, a história dessa nação muda. “… Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar; e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (II Cr 7:14)

Arrependimento por identificação, confissão de pecados, atos de reconciliação e o testemunho profético resumem a mais ofensiva atitude de batalha espiritual que emudece toda argumentação e acusação demoníaca. Isso prepara o caminho e endireita as veredas do avivamento.

Por isso o ministério de Jesus foi marcado com muita libertação e cura. Por que durante o ministério de João Batista, vemos o povo se arrependendo, mudando de mentalidade, mudando de comportamento e reconciliando as famílias. E no ministério de Jesus vemos o efeito colateral disso: demônios sendo expulsos, enfermos sendo curados, milagres fluindo, multidões sendo salvas e ensinadas e verdadeiros discípulos sendo treinados. O caminho estava aberto. Uma igreja poderosa realinhada com o Propósito de Deus começava a ser formada.

O verdadeiro pilar de um avivamento consiste em quebrantamento e confissão de pecados. Isso pode fazer a diferença entre o mover de Deus e a transformação profunda de Deus; entre a visitação e a habitação de Deus; entre o soprar de Deus e o avivamento que perdura. Percebemos o avivamento quando pessoas são movidas pelo Espírito santo confessando abertamente seus pecados, humilhando-se, reconhecendo suas culpas, revelando seus pecados secretos, expondo suas vergonhas, renunciando traumas, perdoando e liberando ofensores, restituindo o que foi defraudado, reconciliando relacionamentos, posicionando-se moralmente, então percebemos o temor de Deus. Esse é o cheiro do fogo do avivamento, um ambiente de verdadeira libertação e conquista espiritual.

 

Extraído do Livro O Avivamento  do Odre Novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat