Harold Walker

“E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Os homens desfalecerão de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto os poderes do céu serão abalados” (Lucas 21.25,26).

Que cenário! Eu o chamo de “meteorologia espiritual”. A previsão do tempo dos últimos dias aproxima-se da Terra. Tudo já começou a oscilar, porém, essa agitação é apenas um prenúncio do que ainda está por vir. Filmes são produzidos em Hollywood mostrando nas telas a destruição da Terra e os sobreviventes dela. Hollywood parece estar mais avançada profeticamente do que a igreja, pois esta supõe que tudo continuará igual. Hollywood grita: “Não! Não continuará tudo igual. Haverá, sim, destruição e catástrofes.” Essa previsão confere com o que a Bíblia diz: “Sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia das nações…”.
“Então verão vir o Filho do homem em uma nuvem, com poder e grande glória” (Lucas 21.27).

A previsão do tempo é clara e terminará com a volta de Jesus. Mas vamos nos deter aos nossos dias, trinta ou quarenta anos antes dessas coisas acontecerem. Como devemos reagir enquanto as nações estão desmaiando de terror, a Bolsa de Valores caindo e o desemprego em alta? Qual deve ser a nossa postura diante das lutas, anarquias, guerras, tremores de terra, enchentes, secas, carestia, mundo atribulado, sinais no céu, sinais na terra, problemas e perseguições?

“Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção se aproxima” (Lucas 21.28).

Dependendo da sua mentalidade, você ficará alegre ou triste. Ficará alegre porque essas coisas anunciam que Jesus está voltando, você está selado pelo Espírito e sabe que ele protege e cuida dos seus. Mas esse sistema podre, caótico, perverso, injusto, mau e sem-vergonha cairá e o Rei da justiça reinará. Os que estão firmes nele sabem que quanto mais esse sistema se racha e dá sinais de queda melhor é, porque está evidenciando a chegada do Rei dos reis. A Terra treme e se abala por causa disso e o Diabo, por sua vez, sabe que o tempo que ele tem está se findando.

Jesus exorta você a se alegrar com a sua volta, mas também que tenha cuidado. Ter cuidado com o quê? Com você mesmo! Ser selado por Deus não é algo automático. Ele só o fará se a sua mente estiver correta e isso é com você, e não com Ele. Quem muda a sua mente é você mesmo. É por isso que Jesus avisa:

“Olhai por vós mesmos; não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e aquele dia vos sobrevenha de improviso como um laço. Porque há de vir sobre todos os que habitam na face da terra. Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que hão de acontecer, e estar em pé na presença do Filho do homem” (Lucas 21.34-36).

Jesus não diz para tomarmos cuidado com o pecado, pois desde o início temos mesmo de fazer isso. O pecado, na verdade, não é o problema dos últimos dias. O problema dos últimos dias é você mesmo!

“Pois como foi dito nos dias de Noé assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem” (Mateus 24.37-39).

Todos viviam uma vida normal. Não tem como viver sem comer, sem beber e sem se preocupar em pagar as contas. O perigo dos últimos dias é a distração, é não ter foco, é a mente ficar ocupada com coisas materiais, cheia de preocupações com o que vai comer e beber, com os prejuízos que tomou, com o emprego que perdeu, com a promoção que ganhou, com o ter vendido algo bem ou mal. Vamos ilustrar essa situação com a parábola do homem rico que Jesus contou aos seus discípulos:

“O campo de um homem rico produzira com abundância; e ele arrazoava consigo, dizendo: Que farei? Pois não tenho onde recolher os meus frutos. Disse então: Farei isto: derribarei os meus celeiros e edificarei outros maiores, e ali recolherei todos os meus cereais e os meus bens; e direi à minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe, regala-te. Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus” (Lucas 12.16-21).

Quantos de nós agimos da mesma forma? Quantos cristãos usam sua mente e coração, que foram feitos para refletir Jesus, amar a Deus e tocar as pessoas, para se preocupar com os cuidados desta vida? Ricos e pobres estão mergulhados no mesmo problema: se preocupam por terem muito dinheiro ou por não terem nada. Mas Jesus exorta a todos: “Cuidado para que o vosso coração e mente não se ocupem dessas coisas”. Quando o Anjo passar para selar você ele saberá o que ocupa sua mente.

Marta era boa pessoa, estava fazendo um almoço para Jesus, porém ele lhe disse: “Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas coisas; entretanto poucas são necessárias…” (Lucas 10.41,42). Passar sem almoço um dia não seria o fim do mundo, mas passar sem ouvir a palavra do Filho de Deus na terra é, de fato, o fim do mundo.

Muitos de nós temos orado por coisas específicas em nossas vidas, mas, quando Deus está para nos responder, simplesmente saímos da sua presença sem escutá-lo e nos distraímos com outras coisas. O maior perigo dos últimos dias é a sua distração; é você não zelar da sua mente e coração. Ter ou não ter não é o problema, porque Deus supre; o problema é você se preocupar, se ocupar, se envolver, se agarrar às coisas deste mundo. A mulher de Ló saiu fisicamente de Sodoma, mas o seu coração ficou lá e, por isso, ela olhou para trás e morreu. Onde está a sua mente e o seu coração?

Jesus, em Mateus 24, exorta muitas vezes para vigiarmos e tomar cuidado. Com o quê? Com o engano. Outras passagens bíblicas dizem que nos últimos dias a operação do erro será feita por Satanás de uma forma tão forte que se você não estiver firme e com alguma defesa será facilmente enganado. Todas as nações já estão sendo enganadas. Muitas nações criminalizaram Israel por uma coisa enquanto genocídios estão acontecendo em muitos outros lugares; milhares de pessoas estão sendo mortas nos países muçulmanos; mas ninguém fala nada sobre essas coisas. Pessoas inteligentes e sábias estão sendo enganadas pelo espírito de engano que tem infestado a mídia ao redor do mundo e muitos cristãos estão indo junto.

Jesus chega ao rio Jordão para ser batizado por João Batista. Deus havia dito a João que quem fosse batizado e o Espírito descesse sobre ele, esse seria o Seu Filho. João Batista batizou milhares de pessoas e certamente ficou atento para ver qual delas seria ele. João viera ao mundo para anunciar o Filho de Deus, mas o Filho veio disfarçado, incógnito e ninguém podia reconhecê-lo. Veio tão disfarçado que Judas precisou beijá-lo para identificá-lo aos seus algozes.

João Batista viu Jesus se aproximando e falou: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Este é aquele de quem eu disse: (…) para que ele fosse manifestado a Israel, é que vim batizando em água” (João 1.29-31). João disse a Jesus: “Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? Jesus, porém, lhe respondeu: Consente agora; porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele consentiu” (Mateus 3.14,15). Ao sair da água, o Espírito desceu visivelmente como uma pomba sobre Jesus e ouviu-se uma voz: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 4.17). Foi como se Deus dissesse: “De todos os homens que já viveram, este é o único que eu assino embaixo. Moisés chegou perto de ser 100%, mas errou na última hora e foi eliminado! Mas com esse eu me identifico e estou com ele em toda e qualquer situação. Este é o meu Filho amado em quem eu tenho prazer.”

Quem pensa que depois do batismo Jesus experimentou apenas bênçãos, está muito enganado. O Espírito Santo não nos isenta de problemas, de passar pela patrola, de ir para o deserto não há nada para comer e beber, mas apenas areia. Se você é abençoado pelo Espírito Santo, prepara-se para as provas!

“Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo” (Mateus 4.1).

Jesus ficou no deserto por quarenta dias e quarenta noites e depois teve fome. Jesus, o Filho de Deus, com um corpo igual ao nosso, teve fome. Nossa luta começa com a carne. Jesus estava no deserto sem nada da presença de Deus! Apenas areia e pedras. Ele, que acabara de receber o Espírito e de ouvir a voz de Deus chamando-o de Filho amado, estava agora no deserto sem água, sem comida e com o Diabo. O Diabo não apareceu logo no início pois deixou a carne operar primeiro para depois vir ajudá-la. Jesus estava prestes a ser enganado por ele. Dissemos anteriormente que o maior perigo dos últimos dias é ser enganado. Nenhum de nós quer ser enganado, mas Deus não nos protegerá do engano. Ele nos protegerá de tudo o mais, menos de sermos enganados, porque ele já avisou que a cabeça é nossa; portanto, cuidemos dela. Ele só nos selará se zelarmos de nossas mentes.

A primeira coisa que o Diabo diz para Jesus é: “Se tu és Filho de Deus” (v.3). Basicamente ele estava dizendo: “O Filho de Deus, o Rei do universo sentado no meio da areia e morrendo de fome. Mas ali tem uma pedrinha que parece um pão. Você pode transformá-la em um pão de verdade e matar a sua fome. Será que você é mesmo o Filho de Deus?”. O Diabo não estava desmentindo a Deus, mas duvidando dele, colocando dúvida na mente de Jesus. E aparentemente ele estava com a razão, pois como Deus podia ser tão rico, tão bom e deixar o seu Filho numa situação daquelas? Assim foi também com os amigos de Jó: “Como um homem bom pode sofrer assim como você? Você deve ter feito alguma coisa errada.” O Diabo sempre chega quando você está em apuros. Ele disse a Jesus:

“Se tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães” (Mateus 4.3).

O ‘bom’ vendedor, como diz Paulo Manzini, vende geladeiras para esquimós. Ele lhe vende algo que não presta e só depois você percebe ter caído na sua lábia. Pois saiba que o Diabo é muito mais esperto que o vendedor e você não tem vez com ele. Jesus não ousou dizer uma única palavra de sua própria boca contra o Diabo, mas o combateu três vezes com a palavra: “Está escrito!” Ele usou a Bíblia! Mas como, se ele não tinha nenhuma Bíblia consigo? Jesus conhecia as Escrituras, fez o seu dever de casa, encheu sua mente com elas; ele a tinha na sua mente. Então, quando ouviu a palavra “pão” já tinha a resposta:

“Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4.4)

Jesus ganhou a primeira questão porque combateu o Diabo com a Palavra de Deus que havia armazenado em sua mente.

“Então o diabo o levou à cidade santa, colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és Filho de Deus…” (Mateus 4.5,6).

O Diabo viu que Jesus conhecia a Bíblia, mas ele também a conhecia. Os falsos obreiros, as seitas conhecem a Bíblia e o anticristo a citará. A Bíblia não o protegerá se você não a conhecer. Sendo assim, certamente você será um candidato a ser enganado. O Diabo colocou Jesus no pináculo do Templo e lhe disse:

“Se tu és Filho de Deus, lança-te daqui abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito; e: eles te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.” (Mateus 4.6).

Veja que o Diabo citou um versículo inteiro dos Salmos (Salmos 91.11,12). “Pula porque os anjos vão te proteger; isso está escrito na Bíblia.” Logicamente Jesus não o obedeceu, porque ele não conhecia apenas uma parte da Bíblia, mas a conhecia toda.

Uma das lições mais preciosas que meu pai me ensinou foi: “Leia a Bíblia toda, sempre. Não leia apenas a parte que você gosta; leia tudo, sempre, do início ao fim e depois comece de novo”. É difícil para você entrar no seu quarto, com o ar condicionado ligado, abrir a Bíblia e ler? Você não precisa sentir nada; Deus não manda você sentir, ele manda você ler! Leia a Bíblia durante um mês, todos os dias, e você sentirá alguma coisa, porque Deus falou e a palavra dele fala aos nossos corações. Você não precisa ser um erudito e ter uma enciclopédia inteira em sua mente. A própria Bíblia diz que o Espírito Santo trará à sua memória os versículos que você precisa. Se não ler, como ele fará isso? Se você não coloca nada em sua mente, o Espírito Santo não tem de onde tirar algo para trazer-lhe à memória. Você coloca e ele aplica!

Quando o Diabo falou para Jesus pular do pináculo do templo, ele achou outro versículo para confrontá-lo:

“Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus” (Mateus 4.7).

Ou seja, Deus o sustentaria se ele fosse empurrado. Deus lhe sustenta se você cair sem querer, mas se você pular ele não o sustentará. É preciso entender como a Bíblia funciona. Não adianta se apegar apenas a uma parte dela. É preciso conhecer toda a Palavra de Deus. Pular confiando apenas na parte da Bíblia que o diabo citou não funciona, pois há outra parte que diz para não tentar a Deus.

Depois o Diabo lhe mostrou todos os reinos do mundo e disse:

“Tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares” (Mateus 4.9).

Mais uma vez Jesus o confrontou com a Palavra:

“Vai-te, Satanás; porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás” (Mateus 4.10).

Jesus sabia que na hora certa herdaria todos os reinos deste mundo.

“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite” (Salmo 1.1,2).

Os versículos acima citam três coisas que o homem não deve fazer: não andar segundo o conselho dos ímpios, não se deter no caminho dos pecadores e não se assentar na roda dos escarnecedores. “Bem-aventurado” é consequência de não fazer essas coisas, isto é, o homem que não as fizer será abençoado, prosperará e será bem-sucedido. Uma coisa só ele precisa fazer: ter o seu prazer na lei do Senhor (na Bíblia) e nela meditar de dia e de noite. Qual será o resultado disso?

“Será como árvore plantada junto às correntes de águas” (Salmo 1.3).

A seca pode vir, mas mesmo assim a árvore florescerá e ficará verde porque ela não depende da água superficial, antes, tem suas raízes profundas nas correntes de águas. Nós podemos estar em cadeias ou em qualquer outra situação que nos impeça de ter uma Bíblia, mas se a Bíblia estiver dentro de nós seremos como uma árvore plantada junto ao rio; nossas folhas serão verdes e nunca deixaremos de frutificar. Pode vir um vendaval que não cairemos, porque nossa raiz é profunda; a Palavra de Deus nos segura firme.

Sinto ser urgente que a igreja leia a Bíblia toda, sempre. Não terceirize essa responsabilidade. O meu conhecimento da Bíblia não o salvará. Você precisa fazer um depósito da Palavra de Deus em sua mente e, para isso, você a precisa ler. Deus não pede que você tenha grandes revelações; aliás, ele não pede nada, só pede que você leia a Palavra dele. E, se por acaso você sentir alguma coisa enquanto lê, anote o que sentiu, dê valor, porque isso mudará a sua vida.

A leitura da Palavra, a oração e a operação do Espírito são como o batismo: devemos estar imersos nessas coisas. Isso é o mais importante a fazer. Se der tempo, trate das coisas materiais, resolva o que precisa ser resolvido, pague suas contas, vá atrás de comida e bebida. Mas você descobrirá que quem dá prioridade ao Reino de Deus, quem dá o melhor do seu dia para ler a Bíblia e orar, será bem-sucedido em seus negócios, ganhará dinheiro e terá o suficiente para ajudar outras pessoas; usará sabedoria humana, mas Deus dirigirá os seus caminhos e será abençoado!

Enquanto Asher Intrater orava por esta igreja, veio-lhe a palavra: “Existe um espírito de miséria no Brasil. Os crentes brasileiros pensam que para ser espiritual tem de ser pobre.” Ele nos exortou a que quebrássemos o espírito de miséria. Disse que o filho de Deus deve ser bem-sucedido, ganhar dinheiro e avançar. Mas não para si! Jesus ensinou o negar a si mesmo, não desperdiçar nada e cuidar dos pobres. Ele não disse que não íamos ganhar dinheiro, mas disse que quem é rico “seja rico em dar”. Como a igreja brasileira abençoará as pessoas se não tiver recursos? Neste ano de 2017 podemos, sim, pedir bênção material, mas apenas se obedecermos a Palavra de Deus.

O fundador da ADHONEP (Associação de Homens de Negócio do Evangelho Pleno), um fazendeiro norte-americano, era dono de muitas vacas leiteiras. Certa vez, ele foi a um leilão para comprar um touro para que suas vacas reproduzissem com qualidade e dessem muito leite. Se comprasse o touro errado, a produção certamente cairia. Seus concorrentes gastavam horas na escolha dos seus touros, mas ele em quinze minutos já havia escolhido o seu. Isso porque o Espírito Santo mostrava a ele qual touro deveria comprar. Ele comprava e descobria depois que o touro era um ganhador de prêmios.

Se nós sentirmos a presença do Senhor conosco e a sua voz atrás de nós dizendo o que devemos fazer ou qual direção devemos seguir, a paz de Cristo será o árbitro em nossos corações. Isso é maravilhoso! Isso é a nossa herança! Aleluia!

Extraído do site: servindo com a palavra

Transcrição: Maria de Fátima Barbosa

Edição final: Luiz Roberto Cascaldi